A influência de Dante nas artes visuais nos séculos após sua criação

(See it in English)

Dante mudou a representação da realidade na literatura ocidental. Vamos dar uma olhada no quadro mental atrás de tudo isso.

Este assunto é uma situação catch 22, ou o que na cultura americana é conhecido como um duplo vínculo ou double bind 

O Catch-22 é um romance que começa como um conjunto de requisitos paradoxais segundo os quais os aviadores mentalmente incapazes de voar não precisavam fazê-lo, mas não podiam ser dispensados.

Um duplo vinculo, ou  double bind   é uma situação em que a pessoa esta num dilema de comunicação em que um indivíduo (ou grupo) recebe duas ou mais mensagens conflitantes, e uma mensagem nega a outra. Isso cria uma situação em que uma resposta bem-sucedida a uma mensagem resulta em uma resposta falha a outra (e vice-versa), para que a pessoa automaticamente seja errada independentemente da resposta. O duplo vínculo ocorre quando a pessoa não pode enfrentar o dilema inerente e, portanto, não pode resolvê-lo nem optar por sair da situação.

Um excelente exemplo, que os ateus gostam, e que é catch 22, é o seguinte:

“Se Deus fosse bom, desejaria tornar suas criaturas perfeitamente felizes, e se Deus fosse todo-poderoso, seria capaz de fazer o que quisesse. Mas as criaturas não são felizes. Portanto, Deus carece de bondade, poder ou ambos. ”

Eu (REC) vejo a crítica literaria como afirmado acima, embora com seu próprio conjunto de complicações, agravado pelo fato de que se você conhecesse grego, latim, alemão, italiano, francês, espanhol, para não mencionar o inglês, para citar alguns idiomas, mesmo assim, não haveria nenhuma chance de que você conhecesse a cultura envolvida ou tenha tido tempo para ler tudo o que deveria ser lido para se juntar à Elite, ou melhor, o Olympus, para descobrir o que eles estão falando.

Agravado ainda mais pelo fato de eles se moverem em ondas de modismos e tendências dependendo de onde estão ou quando decidem algo foi o que.
Há, no entanto, uma exceção excepcional que, para o meu entendimento, nos salva e nos permite levar uma conversa razoável sobre o assunto, que é o trabalho abaixo:

Auerbach's Mimesis Portugues

É a obra magistral de Erich Auerbach “Mimesis : a representação da realidade na literatura ocidental”, publicada pela Universidade Princeton exatamente há cinquenta anos atrás, em uma tradução inglesa satisfatória e legível de Willard R. Trask, como o Prof. Edward W. Said, coloca em sua Introdução a este livro  e cito:

“A trajetória histórica que é a espinha dorsal de Mimesis é a passagem da separação de estilos na antiguidade clássica, a sua mistura com o Novo Testamento, seu primeiro grande clímax na Divina Comédia de Dante e sua apoteose final nos autores realistas franceses da século XIX – Stendhal, Balzac, Flaubert e depois Proust. A representação da realidade é o tema de Auerbach, para o que ele teve que fazer um julgamento sobre onde e em qual literatura era mais bem representada. No ‘Epilegomena‘ * ele explica que “na maioria dos períodos, as literaturas Românicas (descendentes do Latim) são mais representativas da Europa do que, por exemplo, o alemão. Nos séculos XII e XIII, a França assumiu inquestionavelmente o papel principal; Nos séculos XIV e XV, a Itália passou à frente; voltou novamente para a França no século XVII, permaneceu ali também durante a maior parte do século XVIII, em parte ainda no século XIX, e precisamente para a origem e o desenvolvimento do realismo moderno (assim como para a pintura) “(570). Penso que Auerbach minimiza a contribuição substancial em inglês em tudo isso, talvez um ponto cego em sua visão. Auerbach continua afirmando que esses julgamentos não derivam da aversão à cultura alemã, mas sim do sentimento de tristeza que a literatura alemã “expressou. . . certas limitações de perspectivas no . . século XIX “(571). Como veremos em seguida, ele não especifica o que era isto como ele fez no corpo de Mimesis, mas acrescenta que “por prazer e relaxamento” ele ainda prefere ler Goethe, Stifter e Keller em vez dos autores franceses que ele estuda, dizendo, depois de uma notável análise de Baudelaire que não gostava dele (571) “.

* Epilegomena “Significa uma observação adicional sobre um assunto específico, normalmente declarado em sequencia

Também cito desta introdução:

“Entre 1923 e 1929, Auerbach ocupou um cargo na Biblioteca Estatal Prussiana de Berlim. Foi então que ele fortaleceu o domínio de sua vocação filológica e produziu dois grandes trabalhos, uma tradução alemã de  A nova Ciência de Giambattista Vico e uma monografia seminal sobre Dante intitulada Dante als Dichter der irdischen Welt (quando o livro apareceu em inglês em 1961 como Dante, Poet of the Secular World, a palavra crucial irdischen, ou “terrestre”, foi parcialmente representada pelo muito menos concreto “secular”).

“As próprias idéias de Auerbach sobre Dante: A Divina Comédia sintetizou o atemporal e o histórico por causa do gênio de Dante, e o uso por Dante da linguagem demótica (ou vulgar) em um sentido permitiu a criação do que viemos a chamar literatura”

Temos o que precisamos!

Auerbach's Dante

Tiro da apresentação da Amazon:

Dante: Poet of the Secular World de Erich Auerbach:  é uma introdução inspiradora a um dos maiores poetas do mundo, bem como um ensaio brilhantemente argumentado e ainda provocativo na história das idéias. Aqui, Auerbach, visto por muitos como o maior dos eruditos críticos do século XX, faz a afirmação aparentemente paradoxal de que é na poesia de Dante, suprema entre os poetas religiosos e, acima de tudo, nas estrofes de sua Divina Comédia, que a O mundo secular da novela moderna primeiro tomou forma imaginativa. O estudo de Auerbach sobre Dante, precursor e complemento necessário para Mimesis, sua visão magistral do realismo na literatura ocidental, ilumina tanto a estrutura geral como o detalhe individual do trabalho de Dante, mostrando que é uma síntese extraordinária do sensível e do conceitual, o particular e o universal, que redefiniu noções de caráter e destino humano e abriu o caminho para a modernidade.

CONTEÚDO
I. Introdução histórica; A Idéia do Homem na Literatura
II. Poesia inicial de Dante
III. O Tema da “Comédia”
IV. A Estrutura da “Comédia”
V. A apresentação
VI. A sobrevivência e a transformação da visão de realidade de Dante
Notas
Índice

Antes de entrar na obra-prima de Auerbach, vamos dar uma olhada em uma discussão sobre O Ponto de vista Grego e o da Idade Media

e

Wie es eigentlich gewesen (O que realmente aconteceu)

e

Visões do Paraiso e do Inferno e do Diabo antes de Dante

e

O Demônio – Percepções do mal da antiguidade ao cristianismo primitivo

Voltar para Artistas Inspirados por Dante

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s