Meaning of Symbolism and Allegories in Dante’s Inferno of his Divine Comedy

(Veja em Português)

I am intensively using Italian websites to help students interested in the subject.

or La Divina Commedia

To understand the movement and what happens, we have to define some symbolic parameters, which are typical of the style used by Dante.

See before the Geography of Dante

and the structure

18527687_819305778226738_4534508542749892111_n

1rst. symbolic parameter: rhetorical language configuration, narrative and style

The style is what the Italians call comic, because of the use of vulgar language. What is written in Latin is to indicate relevance or importance of the passage in the narrative. Virgilio is called Doctor because he knows the information and because Master is superior to Dante, who is Agens, protagonist

2nd. symbolic parameter: Location and physical format

Structure of the Afterlife in the vision of Dante Alighieri.
Oltretomba” in Italian means the world of the dead according to various mythological or religious conceptions. There is no correct translation to English.

dante-yellow1

dante-yellow2

dante-yellow3

Increase the size of the figure until you can read and see that the first three things that Boticelli has put were: Acheron, Dark Forest and the Gates of Hell.

Hell is an inverted conical abyss open under Jerusalem, brought about by the fall of the rebellious angels of heaven (Lucifer). Lucifer was the brightest angel of the sky, but he did not want to submit himself to God, more resplendent than he, fell from the sky and became a demon. (Proud); Jerusalem was opened in two and then closed again not to be contaminated by the rebellious angels. The columns of Hercules mark the border to the west, and the River Ganges to the east. On the opposite side of hell, the mountain of purgatory was formed where the Garden of Eden is located on the last “floor”.

Take a look at the three maps above and inset one on the other and you will see the path that Dante walks along the poem, observing that he “goes down” when he enters in hell and “goes up” to the Mount of Purgatorio which is up to the sky, located on the opposite side of Earth, after crossing the Styx River in the water hemisphere, remember that the Earth is round.

 3rd. Symbolic parameter

Location, allegorical figures, symbols and meaning, for each Canto

Entrance Gate

Canto  1 (See the animation on Youtube)

Location: Dark Forest
Allegorical figures, symbols and meaning:

  • Dark Forest = Sin
  • Dante = “Agens” Character and “Auctor” Author
  • Virgilio = Guide, Master and Author
  • Panther = Lust
  • Lion = Pride
  • She wolf = Cupidity, greed

williamblakedantewildbeasts_2

Dante wakes up in a forest, symbolizing that he has lost his mind. Forests were the symbol of risk, because thieves and bandits hid there. “In the middle of the journey of our life” – indicates the period of about 35 years in the middle of life. Dante begins to make an inventory of what he had done. Dante must therefore go through all the evils of the world to find his salvation: this is the meaning of his journey. The poet does not know how he got into that forest and finds himself drowsy, being the nocturnal moment, which is in the middle of the night, which also means being without knowing where to go.

Dante is Agens (he is the protagonist), and Auctor or the one that counts and demonstrates the increase of the consciousness of  man. When Dante sees the sunlit hill, he sees it as a glow of salvation to get out of his sinful life.
Virgilio, his literary idol. appears to save Dante from beasts. The three animals are the representation of the Vices (Lust, Pride and Cupidity). Virgilio takes Dante under his protection and accompanies him to the Mount of Purgatory. His soul is lost in sin and he wants to return to light (Exit thr forest). Virgilio represents human reason; will accompany him to heaven, but once there not any more because upon arriving will be accompanied by Beatriz. Virigilio was considered in the Middle Ages a greater pagan poet, but Christianized. The Middle Ages interpret Virgil as a figure of divine message. He never spoke of “falsehood and liars” and it is a symbol of human perfection.
Dante hopes that he can now find support to get out of this condition.
He is Auctor and Agens and therefore he is the master, as the greatest poet, who has elaborated the qualities of the human soul (he expresses the potentialities of human reason). He is a moral guide and Auctor (conductor guide of how he acts), but he can not help him in heaven, because he is a pagan not baptized and can not enter there. Beatriz will accompany Dante, full of charity, faith and hope.

The morning light is the beginning of hope and the stars that arise (the astronomical concomitances) were the same visible situation when God began to create the world and was favorable to life. Thus, Dante recovered himself by raising his head, when the Lion (Superb) appeared. The most dangerous is the shewolf, represented lean and reduced to the skin and bones (Cupidity, or immense greed that is not satisfied), but Virgilio announces defeat of her by a veil full of virtues, coming from the Felt, that can be understood as born among humble cloths, or a poor man or a man who professes by some monastic order in poverty (Franciscan order) or born in Feltro, in the Veneto.
Dante has to leave another place, because the she wolf does not let anyone pass, and he kills her. (must change course) because his nature is insatiable and evil and is increasingly hungry (allegory of greed, possession).

The events are all pagan and legendary episodes, so there is a continuity between pagan and Christian history.

Second Canto (See the animation on Youtube)

Location: Hill slope
Allegorical figures, symbols and meaning:

  • Virgil = Reason
  • Beatrice = Operant or sanctifying grace
  • Virgin Mary = Charity
  • Saint Lucia = Enlightening Grace
  • Rachel = Contemplative Life
  • Forest = Darkness, unknown, mystery, fear, formation of Man
  • Hill = Way to God, hope, fear

canto-2-inferno

“I am not like victorious Aeneas or like St. Paul” (Dante’s humility) says Dante. Paul spoke of a mystical ecstasy that led him to God (Excessus Mentis), while Aeneas is the Pious man, virtuous as human perfection.
For Dante, life is a linear process, and the birth of Christ (the Incarnation) is a fundamental step of life, determining a stage, a starting point and considered an important historical moment and a guarantee of peace and unity. After the fall of Adam, this is the reunion with the Divine after great falls in history (Original sin is the first fall that interrupts the perfection between God and man) and the incarnation reestablishes the harmony of grace between man and God with a new fall (Donatio Constantini) that initiates the temporal power of the Church.

At this point Dante hesitates: he wonders why he was chosen if Aeneas is a more just man than Virgilio described in the Aeneid or as Sao Paulo: Dante is not perfect and asks Virgilio why he. Then Virgilio, as a father, reassures him that Beatrice turned to God, who sent Saint Lucia to ask Virgil to accompany him on the journey through hell and to help free himself from his life on the wrong road.

Third Canto (See the animation on Youtube)

Location: Hell’s gate, Vestibule
Allegorical figures, symbols and meaning:

  • Virgíl = Reason
  • Dante = “Agens” Character and “Auctor” Author
  • Charon = It’s the devil who takes souls to hell

canto-3-inferno

 The guilt punished here is indolence, neglect, laziness (or pusillanimity). It is for those who did not know how to take a stand in life, for good or for evil, acting in a vile way.

The schema that Dante created is called Contrapasso, which is a penalty similar to the sin committed, by a process either resembling or contrasting with the sin itself. Here it is presented for the first time, mirroring the sin, as if it was a reflex.

The Contrapasso law (Suffer the opposite)

canto-3-inferno 3

By analogy: The lascivious, who are overcome by the passion of the senses, in hell are punished by a storm.
By contrast: The insolent, who lived a life without stimuli, are continually tormented by bites of flies and insects.

For negligent souls, though not yet condemned, Dante auctor inflicts severe pain: that of running incessantly, naked, behind a senseless sign, tormented by bites of wasps and mosquitoes until they bleed; the blood is finally collected by creepy worms that move under their feet.

It is only the first of a long series of condemnations that will be inflicted upon the souls in hell – and, as we shall see, also those of Purgatory, albeit milder. The description of the punishment is always very realistic, full of hard, crude and often disgusting details. The condemnations chosen by Dante, as auctor, for the sinful souls of the underworld follow a very precise rule, which the poet draws from the Bible and from medieval jurisprudence: it is the so-called contrapasso law (suffer the opposite), according to which the penalties are distributed according to the sins practiced in life..

There are two types of contrapasso:

Contrapasso by analogy: penalty is similar to the sin (for example, as in life its existence was repulsive, for lack the choice that gives meaning to the action of being human, so blood and tears are collected by repulsive worms);

Contrapasso by contrast: the penalty consists of the inverse of the characteristics of sin (for example: as in life they have failed to follow any ideal, then the negligent are now forced to run endlessly naked behind a meaningless sign).

Fourth Canto (See the animation on Youtube)

Location: 1st. Hell’s Circle – Limbo Historic and / or mythological places and episodes mentioned

– Descend of Christ to hell
– Liberation of the Patriarchs and Jews of the Old Testament
– Lucio Giunio Bruto inspires the fight against Lucius Tarquinius, Superbus

Allegorical figures, symbols and meaning:

  • Dante “Agens” Character and “Auctor” Author
  • Virgil: Becomes embarrassed by his origin equal to the condemned ones
  • Homer, Horace, Ovid, Lucan
  • Characters mentioned:
  • Electra, Hector, Enéias, César, Camilla, Penthesilea, Latino, Lavinia, Brute, Lucrezia, Julia, Marzia, Cornelia, Saladin, Aristóteles, Sócrates, Platão, Demócrito, Diógenes, Anaxágoras, Thales, Empédocles, Heráclito, Zeno, Dioscorides, Orfeu, Cicero, Linus, Seneca, Euclides, Ptolomeu, Hipócrates, Avicena, Galen, Averroes
    Cristo, Abraão, Moisés, Davi, Jacó, Raquel, Adão, Abel, Noé

canto-4-inferno 1

canto-4-inferno

Abstract

Dante awakens from his sleep and is on the other side of Acheron, in Limbo, the first circle of Hell. Virgilio is disturbed because he is in this circle, but reassures Dante and they follow on, finding souls with spiritual and non-corporal punishments, because their sin was not to know Christianity. Among these souls, Dante meets Homer, Ovid, Horace and Lucanus, his greatest poetic models, who guide the two pilgrims to a noble castle, home to great philosophers and important figures.

Function
Introduction to the  real Hell; homage to the culture and to the Roman origins (poets); tribute to philosophy and classical activity; tribute to pagan culture.

Allegorical figures, symbols and meaning:

  • Four poets: poetic excellence
  • Darkness =  Sin
  • Seven walls: moral virtues (justice, prudence, fortitude, temperance) and intellectual virtues (intelligence, knowledge, wisdom) / liberal arts of trivium and quadrivium (grammar, rhetoric, dialectic, arithmetic, geometry, music, astronomy) seven parts which constitutes philosophy (physical, metaphysical, ethics, politics, economics, mathematics, dialectics)
  • Castle: philosophy / human nobility
  • Light: human rationality

Timing

Good Friday, probably on April 8th, 1300, at night

Topics
– Theme of disturbance
– Religion theme
– Theme of philosophy
– Theme of poetry
– Theme of culture in general
– Theme of the classic era
– Reflection theme
– Theme of Darkness
– Light Theme
Locus amoenus theme

Literary and cultural references
– Iliad
– Bible
– Various Myths, Saga, Legends

Fith Canto (See animation on Youtube)

Location 2nd. Circle of Hell – The Lewd – Loss of Reason for Desire

  • Emotional involvement
  • Sensual love between Paolo and Francesca
  • The central role of literature in the history of the two lovers
  • Ideal of courtesy on one side, religious dimension on the other

Symbols and Allegories Meaning

At Entrance Minosse = bestial demon, guardian of the underworld

Followed by:

  • Dante “Agens” Character and “Auctor” Author
  • Semiramis = Queen of the Assyrians
  • Dido = Queen of Carthago (Aeneid)
  • Cleopatra = Queen of Egypt, lover of Julius Caesar and Mark Antony
  • Elena, Paride and Achilles = characters from Greek mythology
  • Tristan = Famous Round Table Rider
  • Paolo and Francesca

Timing

The night of April 8, 1300 (Good Friday)

canto-5-inferno

Abstract

Dante arrived at the II circle of hell with Virgil, where is the group destined to the sin of  lust. Paolo and Francesca were the first sinners Dante questioned.
Francesca was an aristocratic woman, the daughter of Guido da Lopenta. Love blossoms between the two while reading Lancelot. Her lover  who later killed by her betrayed husband. Dante, disturbed by his own feelings, faints and loses his senses. Dante has an attitude of understanding towards Francesca, but also of criticism, insofar as she has acted against religious ideals and moral norms.

Sixth Canto (See the animation on Youtube)

Location: 3rd. Círcle of Hell – greediness, gluttony

Allegorical figures, symbols and meaning:

Cerberus = Three-headed dog

canto-6-inferno2

Abstract

Here the gluttonous souls are laid to the ground, their faces buried in the mud and tortured by incessant rain and oppression of the guardian of the group, the ferocious Cerberus. He is a demonic character, endowed with three canine heads, which tears apart  and destroys the souls of the gluttonous in pieces with their claws. Virgil manages to keep Cerbero aside by throwing mud on his three heads, and so Dante and his master can pass freely through the suffering souls. A soul rises from the muddy mass and addresses Dante; It is Ciacco, a fellow citizen of the poet, probably condemned to this because of his greed. Dante questions him about the fate of his city, continually divided in the struggle between Guelfos and Ghibellinos, and Ciacco prophesies the clash between the two factions of Guelfos, the whites and the blacks, and at the end prevailing the blacks. The theme is then political, as it happens throughout  for every sixth song of each song in the poem: the condemned describes with dark and prophetic tones the manner in which the Florentines “come to bleed” (v. 65), alluding to the clashes between factions of 1300-1301 . Ciacco adds that in the city there is almost no presence of deserving people or whoever which could change the sad destiny of the internal struggle because of the “three sparks” (v.75) of arrogance, envy and avarice. Dante asks him where some illustrious Florentine characters are found, and Ciacco responds that these (including Farinata and Iacopo Rusticucci), guilty of the most horrible sins, are in the deepest circles of hell. Ciacco returns with his face in the mud, after asking Dante to remember him once he returned to the living. Virgil explains to the poet that Ciacco will not lift his face from the mud and that he will lie until the Day of Judgment, after which his cares and pain will grow even more. The two protagonists walk on souls – as a sign of contempt for them – and continue their journey in the underworld, reaching the doors of the fourth circle, found in Pluto, “the great enemy,” the demon of wealth.

Seventh CantoCanto (See the animation on Youtube)

Location: 4th. Círcle of Hell – The Hoarders and Spendthrifts.

Allegorical figures, symbols and meaning:

Wolf = Avarice and Cupidity
Pluto = son of Iasione and Demetra, was to the Greeks the symbol of wealth

Abstract

At the entrance of the Fourth Circle, the two poets find Pluto, guardian of this infernal area. The monster, which looks like a wolf, runs against them, uttering incomprehensible words, but Virgil assures Dante that Pluto will not be able to stop them, rebuking the demon and silencing him, remembering the defeat suffered by Lucifer by Archangel Michael. At this point, Pluto falls to the ground prostrated and the two poets can continue. The two poets approach the ranks of the greedy and the prodigal.
A great multitude of condemned men gather in a tumultuous circle, divided into two ranks, the greedy and the prodigal: they push the stones along the circle conflicting to each other and complaining. Dante observes many men from the Church, privileged victims of this vice. Virgil exposes the nature of sin and concludes by affirming the vanity of the riches which fortune gives men.
The contrapasso is not clear, but the metaphor applies by characterizing the connection of sinners with wealth similar to pushing stones
Virgil explains that Fortune is created by God, being given randomly to different people, in an unpredictable way and according to God’s hidden judgment. Its law regulate the life of men and preside over the ups and downs of history, for the angelic powers preside over and order the movement of the heavens. His changes are very rapid and follow the divine will, and human curses against it are useless.
Dante and Virgil follow the waters of a thermal spring, which opens in the wide marble of Stigia: it is the fifth infernal circle, where the irascible ones are immersed, beating each other. Virgilio concludes by saying that earthly goods, entrusted to fortune, are ephemeral, and all the gold in the world would be insufficient to appease these afflicted souls.

 Eighth Canto (See the animation on Youtube)

(Sign up to see the animation on Youtube – it is sensitive to whoever sees it)

Location: 5th. Círcle of Hell – wrathful and sullen

The walls of the City of Dite

Allegorical figures, symbols and meaning:

Sentence: They are immersed in the waters of the River Styx and beat each other
Contrapasso: They continue to unburden their anger, exposed or hidden, gurgling in the filthy and foul waters of the Styx
Dante meets Flegiàs (guardian of the circle); Filippo Argenti; the demons

Canto 8

Abstract

Still on the 5th. Circulo do Infeno, it appears Flegiàs, who transports Dante and Virgilio to the swamp of the River Styx . Encounter with Filippo Argenti. Arrival to the city of Dite. The demons deny the passage to the two poets.
It is the evening of Saturday, April 9 (or March 26) of 1300.
Along the banks of the Styx River, the second of the infernal rivers encountered so far, after the Acheron, Dante and Virgil arrive at the foot of a tower from the top of which  luminous signs come out.
These are revealed as warnings of Flegiàs, the infernal boatman who, suppressing his anger, accepts the two in his boat. During the navigation, one of the angry condemned punished in the swamp approaches with arrogance to Dante: it was Florentine Filippo Argenti that had relations of enmity with Dante, after a brief exchange of abusive jokes, he tries to attack the boat, but is taken back by Virgilio in the mud where it is shattered by the other condemned.
Finally, the boat arrives in front of the walls of the city of Dite, reddish by the fire, protected by a band of demons which prevent Dante and Virgilio from entering the inferior Hell. Not even Virgil’s words can persuade the demons to bow before the divine will: in the face of their hostility and the discomfort of their guide, Dante is terrified even if Virgil reassures him and announces the arrival of someone who can help him.

Ninth Canto (See the animation on Youtube)

(Sign up to see the animation on Youtube – it is sensitive to whoever sees it)

Location: 5th. Círcle of Hell – wrathful and sullen

Entrance Gate of the City of Dite

Allegorical figures, symbols and meaning:

Erichtho: sorceress written about by Lucan.
Judaica: the final pit of Hell; also, Judecca.

Greek and Roman Mythology:
Furies: The three terrible female spirits with snaky hair (Alecto, Tisiphone, and Megaera) who punish the doers of unavenged crimes.
Hydras: water serpents.
Erinyes: Furies.
Hecate: A goddess of the moon, earth, and underground realm of the dead, later regarded as the goddess of sorcery and witchcraft.
Megaera:  One of the three Furies.
Alecto: One of the three Furies.
Tisiphone: One of the three Furies.
Medusa: One of the three Gorgons, slain by Perseus, who turns mortal humans to stone if they look at her.
Theseus: The principal hero of Attica, son of Aegeus, and king of Athens; famed especially for his killing of the Minotaur; tried to kidnap Hecate.
Gorgon: Any of three sisters with snakes for hair, so horrible that the beholder is turned to stone.

Sentence: They are immersed in the waters of the River Styx and beat each other

Canto 9

canto 9.3

Abstract

Dante’s doubts and Virgil’s explanations. Appearance of the three Furies, which invoke the Medusa. Arrival of the heavenly messenger, who overcomes the resistances of the demons and allows the passage of the two poets. Entrance to the city of Dite (VI Circulo). Penalty of heretics. It is the evening of Saturday, April 9 (or March 26) of 1300

In Canto IX, it is the divine messenger which  reaches the city of Dite to overcome the opposition of the demons and thus to allow the passage of Dante and Virgil, which the demons tried, in vain, to obstruct. His arrival is announced by Virgil at the end of Canto VIII, tal che per lui ne fia la ter ra aperta, “so that the open land may be mine” (Arrogance will not prevail, because the angel is sent from God and the door will open).
After having warned the readers to understand the meaning of the allegory, Dante describes the arrival of the messenger as a hurried wind, which overlaps trees and branches. The messenger crosses the swamp of the Styx River over the dried plants, causing the condemned to flee and taking away the thick swamp vapors on their face. When he arrives at the door of Dite, he opens it with the help of a small stick and sharply rebukes the opposing demons who tried against Dante. Then the messenger goes away and the two poets can enter the city without any impediment.
The character has been interpreted in several ways, the description given to Dante being very vague: it was naturally thought as an angel and perhaps it should be the archangel Michael or Gabriel, although some of his attitudes seem appropriate for a celestial being, especially when he crosses the swamp. Others have proposed mythological characters (Perseus who killed Medusa, Mercury …), may also be the poet’s contemporaries, but this seems an unlikely hypothesis. It should not be excluded that the messenger is simply an angel sent by God to overcome the resistance of the demons without precise identification.

Tenth Canto (See the animation on Youtube)

(Sign up to see the animation on Youtube – it is sensitive to whoever sees it)

Location: 6th. Circle of Hell – The heretics

Within the city of Dite

Allegorical figures, symbols and meaning:

Jehosaphat Valley: Outside Jerusalem where it is believed that the Last Judgement will take place.
Epicurus: Greek philosopher. 341-270 b.c. founder of the Epicurean school, which held that the goal of man should be a life characterized by serenity of mind and the enjoyment of moderate pleasure.
Farinata Farinata degli Uberti: famous leader of the Ghibelline party of Florence.
Guido Guido Cavalcanti: poet and friend of Dante; also Farinata’s son-in-law.
The Second Frederick: The Emperor Frederick II.
Cardinal of the Ubaldini: A cardinal in Dante’s time, said to be involved in money and politics.

Abstract

Still in the city of Dite, the sentence of the heretics. Meeting with Farinata Degli Uberti, political speech on Florence. Appearance of Cavalcanti of Cavalcanti. Farinata’s prophecy about Dante’s exile. Virgilio comforts Dante by promising him the explanations of Beatrice. The two poets arrive near the VII Circle. It is the evening of Saturday, April 9 (or March 26) of 1300.

canto 10.3

Virgil leads Dante between the tombs of the city of Dite, walking around the inner side of the walls. Dante is intrigued and asks Virgil if it is possible to see the souls which are in the tombs, since the folding lids are raised and there are no demons to maintain the arks. Virgil replies that the tombs will be closed forever on the Last Judgment Day, when the resurrected souls will be reappropriated from the body in the valley of Iosafat. He also explains that in this type of cemetery are all the followers of Epicurus who proclaimed the mortality of the soul, promising Dante that soon he will have satisfied his desire that he expressed without revealing, which is to know if there was the soul of Farinata Degli Uberti. Dante justifies himself by saying that if some have hidden some desire to Virgil, it is only to avoid speaking out of time, something that Virgil himself has accustomed him to do.

Meeting  Farinata and Cavalcante

Suddenly, avoice coming from one of the graves is addressed to Dante, identifying him as a Tuscan and begging him to persist, for his accent indicates him as coming from his own city. Dante is frightened and joins Virgil, who invites him to turn around and look at Farinata, who has risen from one of the tombs and is visible from the waist up. Dante obeys and sees the condemned man who stands with his head and chest raised, as if he despised Hell, so Virgil pushes him and advises him to speak with dignity.

As soon as Dante arrives at Farinata’s grave footing, he asks who his ancestors are. The poet reveals his descendants and Farinata notes that Dante’s ancestors were bitter enemies of him, being his ancestors and his political party (the Gibelins), being taken away twice from Florence. Dante responds readily that if they were hunted, they were able to return to the city on both occasions, while the same can not be said for Farinata’s ancestors.

Cavalcante shows up (52-72)

Suddenly, beside Farinata emerges another convict, condemned which leans over his chin as if kneeling. The spirit looks anxious anxiously, looking for someone beside Dante, but he does not see it. Finally, crying, he asks Dante where his son is and why he does not accompany the poet on this journey and if Dante is there for the greatness of his talent. Dante immediately understands that it is Cavalcante dei Cavalcanti, the father of his friend Guido, and he replies that, in reality, he is there not only on his merits and indicates Virgil as someone destined to guide him, who, perhaps, would be disdained by the son of Cavalcante. Cavalcante rises disturbed and asks Dante if his son Guido is really dead: since the poet is slow to respond, the condemned souls fall back to the tomb and does not to come back outside..

 The sixth circle contains the heretics, those who believed that the body does not have a soul. Many of these are Epicureans, followers of Epicurus, the Greek philosopher whose philosophy was the attainment of happiness by the absence of pain.
Farinata, along with Cavalcante, is in the circle of heretics, partly because he and Cavalcante were Epicureans. According to the judgment of the papacy, and to Dante’s society, Cavalcante and Farinata followed the Epicurean philosophy. The Epicureans believed that there is no soul and that everything dies with the body. They saw the pleasures of life on Earth as the greatest goal for man. As Dante knew Farinata and Cavalcante as Epicureans, he fully expected to find them in this circle of hell.

According to the Contrapasso idea of Dante, the punishment of the heretic is to spend eternity in flaming tombs, until the Last Judgment, when the tombs are closed and the souls within will be sealed forever within their terrestrial bodies.
Dante consistently uses the act of prophesying as a literary device in hell. Farinata’s prophecy for Dante, “The face of him that reigneth in Hell shall not be revived fifty times in his course,” or before learning that offenses imply in this art, “signifies that Dante will also experience the pain of exile.”

The other shadow which is interrupted by  Farinata is Cavalcante, another Epicurean, former citizen of Florence and father of Guido, contemporary poet and friend of Dante. When Dante says, “Your Guido felt disdain,” it could mean several things. It could mean that Guido, a modern poet, kept Virgilio and all the classical poets in contempt. Notice that Farinata and Cavalcante do not are aware of themselves or recognize each other. The shadow spirits in hell are not there for fellowship or compassion for one another. In the case of Ugolino and Ruggieri in Corner XXXIII, they provoke pain rather than comfort
Historically speaking, Farinata was a powerful personality of the previous generation. Dante’s family belonged to the Guelphos. As Dante alludes to in this particular canto, Farinata twice led the Ghibellines against the Guelphos and defeated them twice. So he and Dante must be bitter enemies. However, he is not someone Dante hates; Farinata was a person Dante admired tremendously. (A person can respect an enemy, even if he he is opposed to him or her).
Farinata’s concerns are those of a warrior; any other feeling has no meaning to him. He is a citizen, and he asks his name for his homeland. Farinata is also a partisan: he first asks Dante about his ancestors. Likewise, he is an invincible warrior: he reports having beaten his opponents twice. Farinata’s glory was his beloved city. The theme of Cavalcante’s paternal love, intertwined with Farinata’s heroic love, is effective.
Dante has created as an image for Farinata of power, character and strength. He describes him in an upright position, so that it could only be seen from the waist up. This posture suggests that, spiritually, it rises above Hell and creates an image of infinite strength and grandeur.

Advertisements

Significado do Simbolismo e das Alegorias no Inferno da Divina Comedia

(See it in English)

Estou usando intensivamente sites italianos de ajuda a alunos interessados no assunto.

ou La Divina Commedia

Para entender a movimentação e o que ocorre, temos que definir alguns parâmetros simbólicos, que são próprios do estilo usado por Dante.

Veja antes a Geografia de Dante

e a estrutura

18527687_819305778226738_4534508542749892111_n

1o. parâmetro simbólico: Configuração da linguagem retorica, da narrativa e estilo

O estilo é o que os italianos chamam de cômico, pelo uso de linguajar vulgar. O que esta escrito em Latim é para indicar relevância ou importância da passagem na narrativa. Virgílio é chamado de Doutor porque conhece a informações e de Mestre porque é superior a Dante, que é Agens, protagonista

2o.Parâmetro simbólico Localização e formato físico

Estrutura da Vida após a morte na visão de Dane Alighieri
Oltretomba” em Italiano significa o mundo dos mortos de acordo com várias concepções mitológicas ou religiosas. Não ha tradução correta para nossa língua.

dante-yellow1

dante-yellow2

dante-yellow3

Aumente a figura até dar para ler e veja que as três primeiras coisas que Boticelli colocou foram: Acheron, Floresta Escura e as Portas do Inferno.

Veja o trabalho sobre a ideia de Boticelli, que faz ligações ao pressionar o mouse sobre

O inferno é um Abismo cônico invertido aberto sob Jerusalém, provocado pela queda dos anjos rebeldes do céu (Lúcifer). Lúcifer era o anjo do céu mais brilhante, mas não queria submeter-se a Deus, mais resplandecente que ele, caiu do céu e tornou-se um demônio. (Orgulho); Jerusalém abriu-se em duas e depois fechou-se novamente para não ser contaminada pelos anjos rebeldes. As colunas de Hércules marcam a fronteira a oeste, e o Rio Ganges a leste. No lado oposto do inferno, a montanha do purgatório foi formada onde o Jardim do Éden está localizado no último “piso”.

Olhe os três mapas acima e insisira um no outro e vai ver o caminho que Dante percorre ao longo do poema, observando ele “desce” quando entra no inferno e “sobe” o Monte do Purgatorio que está sobe o ceu esta do lado oposto, depois de cruzar o Rio Styx no Hemisferio de água, lembre-se que a Terra é redonda.

3o.Parâmetro simbólico

Localização, figuras alegóricas, símbolos e significado, para cada Canto

Entrada

Canto 1 (Veja a animação no Youtube)

Local: Floresta escura
Figuras alegóricas, símbolos e significado:

  • Floresta escura = Pecado
  • Dante = “Agens” Personagem e “Auctor” Autor
  • Virgilio = Guia, Mestre e Autor
  • Pantera   = Luxuria
  • Leão  = Soberfa
  • Loba = Cupidez, cobiça, ganância

williamblakedantewildbeasts_2

Dante acorda em uma floresta, simbolizando que ele perdeu a cabeça. As florestas eram o símbolo de risco, porque os bandidos e os ladrões se escondiam ali. “No meio da jornada da nossa vida” – indica o período de cerca de 35 anos, no meio da vida. Dante começa a fazer um inventário do que havia feito. Dante deve, portanto, passar por todos os males do mundo para encontrar a sua salvação: este é o significado de sua jornada. O poeta não sabe como ele entrou naquela floresta e se vê sonolento, sendo o momento noturno, isto é no meio da noite, que também significa estar sem saber para onde ir.

Dante é Agens (ele é o protagonista), e Auctor ou aquele que conta e demonstra o aumento da consciência do homem. Quando Dante vê a colina iluminada pelo sol, ele vê como um brilho de salvação para sair de sua vida pecaminosa.
Virgilio, seu ídolo literário. aparece para salvar Dante das bestas. Os três animais são a representação dos Vícios (Luxuria, Soberba e Cupidez). Virgilio leva Dante sob sua proteção e o acompanhará até o Monte do Purgatório. Sua alma está perdida no pecado e ele quer voltar à luz (Sair da Floresta). Virgilio representa a razão humana; irá acompanhá-lo para o céu, mas não mais porque ao chegar será acompanhado por Beatriz. Virigilio era considerado na Idade Média como o maior poeta, pagão, mas  cristianizado. A Idade Média interpreta Virgílio como uma figura de mensagem divina Ele nunca falou dos “falsos e mentirosos” e é um símbolo da perfeição humana.
Dante espera que ele agora possa encontrar o apoio para sair desta condição.
Ele é Auctor e Agens e, portanto, ele é o mestre, como o maior poeta, que elaborou as qualidades da alma humana (ele expressa as potencialidades da razão humana). Ele é um guia moral e Auctor (guia comportamental de como ele age), mas ele não poderá ajudá-lo no céu, pois é um pagão não batizado não pode entrar lá. Beatriz irá acompanhá-lo, plena de caridade, fé e esperança.

A luz da manhã é o princípio da esperança e as estrelas que surgem (as concomitâncias astronômicas) foram as mesmas situações visíveis quando Deus começou a criar o mundo e foi favorável à vida. Assim, Dante se recompôs erguendo a cabeça, quando o Leão (Soberba) apareceu. O mais perigoso é a loba, representada magra e reduzida à pele e aos ossos (Cupidez, ou avidez imensa que não está satisfeita), mas Virgilio anuncia derrota dela por um véu cheio de virtudes, provindo do Feltro, que pode ser entendido como nascido entre panos humildes, ou um homem pobre ou um homem que professa por alguma ordem monástica na pobreza (ordem franciscana) ou nascido em Feltro, no Veneto.
Dante tem que sair de outra lugar, porque a loba não deixa ninguém passar, e ele a  mata. (deve mudar de curso) porque sua natureza é insaciável e má e está cada vez mais com fome (alegoria de ganância, posse).

Os eventos são todos episódios pagãos e lendários, de modo que existe uma continuidade entre a história pagã e cristã.

Segundo Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: Declive da colina
Figuras alegóricas, símbolos e significado:

  • Virgílio = Razão
  • Beatriz = Graça operante ou santifiante
  • Virgem Maria   = Caridade
  • Santa Lúcia =  Graça iluminadora
  • Raquel = Vida contemplativa
  • Selva    =  Escuridão, desconhecido, mistério, medo, formação do Homem
  • Colina = Caminho para Deus, esperança, medo

canto-2-inferno

“Eu não sou como Eneas vitorioso ou como São Paulo” (a humildade de Dante) diz Dante. Paulo falou de um êxtase místico que o levou a Deus (Excessus Mentis), enquanto Eneas é o homem Pio, virtuoso como a perfeição humana.
Para Dante, a vida é um processo linear, e o nascimento de Cristo (a Encarnação) é uma etapa fundamental da vida, determinando um estágio, um ponto de partida e considerado um importante momento histórico e uma garantia de paz e unidade. Após a queda de Adão, esta é a reunião com o Divino após grandes quedas na história (O pecado original é a primeira queda que interrompe a perfeição entre Deus e o homem) e a encarnação restabelece a harmonia da graça entre o homem e Deus com uma nova queda (Donatio Constantini) que inicia o poder temporal da Igreja.

Neste momento Dante hesita: ele se pergunta por que ele foi escolhido se Aeneas é um homem mais justo que Virgilio descreveu na Eneida ou como São Paulo: Dante não é perfeito e pergunta a Virgilio por que ele. Então Virgílio, como um pai, o tranquiliza explicando que Beatriz se voltou para Deus, que enviou Santa Lucia para pedir a Virgílio que o acompanhe na jornada do inferno e para ajudar a libertar-se de sua vida no caminho ruim.

Terceiro Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: Antinferno, Vestibulo, Portal do Inferno
Figuras alegóricas, símbolos e significado:

  • Virgílio = Razão
  • Dante = “Agens” Personagem e “Auctor” Autor
  • Caronte =  É o demonio que leva as almas para o inferno

canto-3-inferno

A culpa aqui punida é a indolência, negligência, preguiça (ou a pusilanimidade).  É para aqueles que não sabiam como tomar posição na vida, para o bem ou o mal, agindo de uma maneira vil.

Aparece pela primeira vez o esquema que Dante criou chamado Contrapasso, que é uma pena similar ao pecado, refletindo o mesmo, como se fosse um espelho

A lei do Contrapasso

canto-3-inferno 3

Por analogia: Os lascivos, que se deixam dominar pela paixão dos sentidos, no inferno estão castigados por uma tempestade

Por contraste: Os insolentes, que viveram uma vida sem estímulos, são continuamente atormentados por picadas de moscas e insetos

Para as almas negligentes, apesar de não se tratar propriamente de condenados, Dante auctor inflige uma dor severa: a de correr incessantemente, nus, atrás de um sinal sem sentido, atormentados por picadas de vespas e mosquitos até sangrarem; seu sangue é finalmente coletado por vermes assustadores que se movem sob seus pés.

É apenas a primeira de uma longa série de condenações que serão infligidas às almas do inferno – e, como veremos, também as do Purgatório, embora de forma mais suaves. A descrição da pena é sempre muito realista, cheia de detalhes duros, crus e muitas vezes repugnantes. As condenações escolhidas por Dante, como auctor, para as almas pecaminosas do submundo seguem uma regra muito precisa, que o poeta retira da Bíblia e da jurisprudência medieval: é a chamada lei do contrapasso, segundo o qual as penalidades são distribuídas conforme os pecados praticados  em vida.

Existem dois tipos de contrapasso:

Contrapasso por analogia: a penalidade é semelhante ao pecado (por exemplo: como na vida sua existência foi repulsiva, por falta a escolha que dá sentido à ação de ser humano, de modo o sangue e as lágrimas são colhidas por vermes repulsivos);

Contraponto por contraste: a penalidade consiste no inverso das características do pecado (por exemplo: como na vida eles não conseguiram seguir nenhum ideal, então os negligentes agora são obrigados a correr incessantemente nus atrás de um sinal sem significado).

Quarto Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: 1o. Círculo do Inferno – Limbo Lugares e episódios históricos e / ou mitológicos mencionados

– Descida ao inferno de Cristo
– Libertação dos Patriarcas e Judeus do Antigo Testamento
– Lucio Giunio Bruto inspira a luta contra Tarquinio, o Soberbo

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

  • Dante “Agens” Personagem e “Auctor” Autor
  • Virgilio: Fica constrangido pela sua origem igual à dos condenados
  • Homero, Horacio, Ovídio, Lucano
  • Personagens mencionados:
    Electra, Hector, Enéias, César, Camilla, Penthesilea, Latino, Lavinia, Brute, Lucrezia, Julia, Marzia, Cornelia, Saladin, Aristóteles, Sócrates, Platão, Demócrito, Diógenes, Anaxágoras, Thales, Empédocles, Heráclito, Zeno, Dioscorides, Orfeu, Cicero, Linus, Seneca, Euclides, Ptolomeu, Hipócrates, Avicena, Galen, Averroes
    Cristo, Abraão, Moisés, Davi, Jacó, Raquel, Adão, Abel, Noé

canto-4-inferno 1

canto-4-inferno

Resumo

Dante acorda de seu sono e está do outro lado do Acheron, no Limbo, o primeiro circulo  do Inferno. Virgilio fica perturbado porque ele está neste círculo, mas tranquiliza Dante e os dois seguem, encontrando almas com castigos espirituais e não-corporais, pois seu pecado era o de não conhecer o cristianismo. Entre essas almas, Dante conhece Homero, Ovídio, Horácio e Lucano, seus maiores modelos poéticos, que orientam os dois peregrinos para um castelo nobre, onde residem grandes filósofos e figuras importantes.

Função
Introdução ao Inferno real; homenagem à cultura e às origens romanas (poetas); tributo à filosofia e à atividade clássica; homenagem à cultura pagã.

Símbolos e alegorias

  • Quatro poetas: excelência poética
  • Escuro: pecado
  • Sete paredes: virtudes morais (justiça, prudência, fortaleza, temperança) e virtudes intelectuais (inteligência, conhecimento, sabedoria) / artes liberais do trivium eo quadrivium (gramática, retórica, dialética, aritmética, geometria, música, astronomia) / sete partes que constituem a filosofia (física, metafísica, ética, política, economia, matemática, dialética)
  • Castelo: filosofia / nobreza humana
  • Luz: racionalidade humana

Tempo
Sexta-feira santa, provavelmente no dia 8 de abril, 1300, à noite.

Tópicos
– Tema de perturbação
– Tema da religião
– Tema da filosofia
– Tema da poesia
– Tema da cultura em geral
– Tema da era clássica
– Tema de reflexão
– Tema da Escuridão
– Tema de luz
– Tema do locus amoenus

Referências literárias e culturais
– Ilíada
– Biblia
– Várias lendas

Quinto Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: 2o. Círculo do Inferno – Os libidinosos – Perda da razão pelo desejo

  • Envolvimento emocional
  • Amor sensual entre Paolo e Francesca
  • Papel central da literatura na história dos dois amantes
  • Ideal da cortesia de um lado, a dimensão religiosa por outro

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Na Entrada Minosse = demonio bestial, guardião do submundo

Acompanhado de:

  • Dante “Agens” Personagem e “Auctor” Autor
  • Semiramis = Rainha dos assírios
  • Dido = rainha de Carthago (Eneida)
  • Cleópatra = Rainha do Egito, amante de Júlio César e Marco Antonio
  • Elena, Paride e Achilles = personagens da mitologia grega
  • Tristão = cavaleiro famoso da mesa redonda
  • Paolo e Francesca

Tempo

A noite de 8 de abril de 1300 (Sexta-feira Santa)

canto-5-inferno

Resumo

Dante chegou ao II círculo do inferno com Virgilio, onde está o grupo destinado ao pecador da luxúria. Paolo e Francesca foram os primeiros pecadores que Dante questionou.
Francesca era uma mulher aristocrática, filha de Guido da Lopenta. O amor floresce entre os dois durante a leitura de Lancelot. Seu amante posteriormente foi morto por seu marido traído. Dante perturbado pelos prórpios sentimentos desmaia e perde os sentidos. Dante tem uma atitude de compreensão em relação a Francesca, mas também de críticas, na medida em que ela agiu contra ideais religiosos e normas morais.

Sexto Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: 3o. Círculo do Inferno – Gula

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Cerberus = Cão de três cabeças

canto-6-inferno2

Resumo

Aqui, as almas dos glutões estão colocadas no chão, com a face enterrada na lama e são torturadas por uma chuva incessante e  opressão do guardião do grupo, o feroz cão  Cerberus. Ele é um personagem demoníaco, dotado de três cabeças caninas, que dilacera e destrói as almas dos glutões em pedaços com suas garras. Virgílio consegue manter Cerbero à margem jogando lama em suas três cabeças, e assim Dante e seu mestre podem passar livremente pelas almas que sofrem. Uma alma se levanta da massa  disforme e lamacenta e se dirige a Dante; É Ciacco, um colega cidadão do poeta, provavelmente condenado a isso por causa de sua ganância. Dante questiona-o sobre o destino de sua cidade, continuamente dividido na luta entre Guelfos e Ghibellinos, e Ciacco profetiza o choque entre as duas facções de Guelfos, a dos brancos e a dos negros, e no final prevalecem os negros. O tema é então o político, como para cada sexta canção de cada música: os condenados descrevem com tons escuros e proféticos a maneira pela qual os florentinos “virão ao sangue” (v. 65), aludindo aos choques entre facções de 1300-1301 . Ciacco acrescenta que, na cidade, quase não há presença de pessoas merecedoras ou que podem mudar o triste destino da luta interna, por causa das “três faíscas” (v.75) de arrogância, inveja e avareza. Dante pergunta-lhe onde alguns personagens florentinos ilustres são encontrados, e Ciacco responde que estes (incluindo Farinata e Iacopo Rusticucci), culpados dos pecados mais horrivei, estão nos círculos mais profundos do inferno. Ciacco volta com o rosto na lama, depois de pedir a Dante para lembrá-lo uma vez voltou aos vivos. Virgílio explica ao poeta que Ciacco não levantará o rosto da lama e que ele vai mentir até o Dia do Juízo, depois do qual seus cuidados e dores crescerão ainda mais. Os dois protagonistas andam sobre as almas – como um sinal de desprezo em relação a elas – e continuam sua jornada no submundo, chegando às portas do quarto círculo, que se encontra em Plutão, “o grande inimigo”, o demônio da riqueza.

Setimo Canto (Veja a animação no Youtube)

Local: 4o. Círculo do Inferno – Riqueza

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Lobo = avareza e cupidez
Plutão = Filho de Iasione e Demetra, era para os gregos o simbolo da riqueza

 

Resumo

À entrada do IV Círculo, os dois poetas encontram Plutão, guardião dessa área infernal. O monstro, que tem a aparência de um lobo, corre contra eles, proferindo palavras incompreensíveis, mas Virgílio assegura a Dante que Plutão não conseguirá impedi-los, repreendendo o demônio e o silenciando, lembrando a derrota sofrida por Lúcifer pelo Arcanjo Miguel . Neste ponto, Plutão cai no chão prostrado e os dois poetas podem continuar. Os dois poetas se aproximam das fileiras dos avarentos e dos pródigos.
Uma grande multidão de condenados se reúne em um  círculo tumultuado, dividido em duas fileiras, a dos avarentos e a  dos pródigos: eles empurram as pedras ao longo do círculo entrando em conflito e reclamando. Dante observa muitos homens da Igreja, vítimas privilegiadas deste vício. Virgílio expõe a natureza do pecado e conclui afirmando a vaidade das riquezas que a fortuna dá aos homens.
O contrapasso não é claro, mas a metáfora se aplica caracterizando a ligação dos pecadores com os bens similar a empurrar as pedras
Virgílio explica o que a Fortuna é criada por Deus, sendo dados os bens aleatoriamente  diferentes povos, de maneira imprevisível para o homem e de acordo com seu julgamento oculto. Suas leis regulam a vida dos homens e presidem os altos e baixos da história, pois os poderes angélicos presidem e ordenam o movimento dos céus. Suas mudanças são muito rápidas e seguem a vontade divina, e são inúteis as maldições humanas contra ela.
Dante e Virgílio seguem as águas de uma fonte termal, que se abre no amplo mármore de Stigia: é o quinto círculo infernal, onde os irascíveis estão mergulhados, se batendo entre si. Virgilio conclui dizendo que os bens terrestres, confiados à fortuna, são efêmeros e todo o ouro no mundo seria insuficiente para apaziguar essas almas aflitas.

 Oitavo Canto (Veja a animação no Youtube)

(Inscreva-se para ver a animação no Youtube – é sensistivo a quem vê)

Local: 5o. Círculo do Inferno – Indolentes e descontrolados

Portal  da cidade de Dite

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Pena: Eles estão imersos nas águas do Rio Styx e se batem uns aos outros
Contrapasso Eles continuam a desabafar sua ira, clara ou oculta, imersos nas águas sujas e lamacentas do Rio Styx
Dante conhece Flegiàs (guardião do círculo); Filippo Argenti; os demônios

Canto 8

Resumo

Ainda no 5o. Circulo do Infeno, aparece  Flegiàs, que transporta Dante e Virgilio  para o pântano do Rio Styx.. Encontro com Filippo Argenti. Chegada à cidade de Dite. Os demônios negam a passagem para os dois poetas.
É a noite de sábado 9 de abril (ou 26 de março) de 1300.

Ao longo das margens do Rio Styx, o segundo dos rios infernais que se encontrou até agora, depois do Acheron, Dante e Virgilio chegam ao pé de uma torre do topo do qual saem sinais luminosos.
Estes se revelam como avisos de Flegiàs, o barqueiro infernal que, reprimindo a raiva, aceita os dois em seu barco. Durante a navegação, um dos irados condenados punidos no pântano aborda com arrogância Dante: era o florentino Filippo Argenti que teve relações de inimizade com Dante, depois de uma breve troca de piadas abusivas, tenta atacar o barco, mas é levado de volta por Virgilio na lama onde é despedaçado pelos outros condenados.
Finalmente, o barco chega em frente às muralhas da cidade de Dite, avermelhada pelo  fogo, protegida por um bando de demônios que impedem Dante e Virgilio de entrar no Inferno inferior. Nem mesmo as palavras de Virgílio conseguem persuadir os demônios a se inclinarem diante da vontade divina: diante de sua hostilidade e do desconforto de seu guia, Dante é tomado pelo terror, mesmo que Virgílio o tranquilize e anuncie a chegada de alguém capaz de ajudá-los .

Nono Canto (Veja a animação no Youtube)

(Inscreva-se para ver a animação no Youtube – é sensistivo a quem vê)

Local: 5o. Círculo do Inferno – Indolentes e descontrolados

Portal  da cidade de Dite

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Pena: Eles estão imersos nas águas do Rio Styx e se batem uns aos outros

Canto 9

canto 9.3

Tópicos do canto

As dúvidas de Dante e as explicações de Virgílio. Aparência das três Fúrias, que invocam a Medusa. Chegada do enviado celestial, que vence as resistências dos demônios e permite a passagem dos dois poetas. Entrada para a cidade de Dite (VI Circulo). Penalidade dos heréticos. É a noite de sábado 9 de abril (ou 26 de março) de 1300.

É o enviado divino que no Canto IX do Inferno atinge a cidade de Dite para superar a oposição dos demônios e, assim, permitir a passagem de Dante e Virgílio, que os demônios tentaram, em vão, obstruir. Sua chegada é anunciada por Virgílio no final de Canto VIII, tal che per lui ne fia la terra aperta, “para que a terra aberta seja minha” (Não prevalecerá a arrogância, porque o anjo é enviado de Deus a a porta se abrirá).
Depois de ter avisado os leitores para entender o significado da alegoria, Dante descreve a chegada do mensageiro como um vento apressado, que sobrepõe árvores e galhos. O mensageiro cruza o pântano do Rio Styx com as plantas secas, fazendo com que os condenados fugissem e tirando com a mão os espessos vapores do pântano no rosto. Quando ele chega à porta de Dite, ele abre com uma pequena vara  e repreende duramente os demônios da oposição que tentaram contra Dante. Então o mensageiro vai embora e os dois poetas podem entrar na cidade sem nenhum impedimento.
O personagem tem sido interpretado de diversas maneiras, sendo muito vaga a descrição que dá a Dante: pensou-se, naturalmente, para anjo talvez o arcanjo Miguel ou Gabriel, embora algumas de suas atitudes parecem adequadas para um ser celestial, especialmente quando ele cruza o pântano. Outros propuseram personagens mitológicos (Perseus que matou Medusa, Mercurio…), também podem ser os contemporâneos do poeta, mas isso parece uma hipótese improvável. Não se deve excluir que o mensageiro seja simplesmente um anjo enviado por Deus para superar a resistência dos demônios, sem uma identificação precisa.

Décimo Canto (Veja a animação no Youtube)

(Inscreva-se para ver a animação no Youtube – é sensistivo a quem vê)

Local: 5o. Círculo do Inferno – Os heréticos

Dentro  da cidade de Dite

Figuras alegóricas, símbolos e significado:

Farinata e Cavalcante

Tópicos do canto

Ainda na cidade de Dite, a pena dos heréticos. Encontro com Farinata Degli Uberti, discurso político sobre Florença. Aparência de Cavalcante de Cavalcanti. Profecia de Farinata sobre o exílio de Dante. Virgilio conforta Dante prometendo-lhe as explicações de Beatriz. Os dois poetas chegam perto do VII Círculo. É a noite de sábado 9 de abril (ou 26 de março) de 1300.

canto 10.3

Virgílio conduz Dante entre os túmulos da cidade de Dite, contornando o lado interno das paredes. Dante está intrigado e pergunta ao Mestre Virigilio se é possível ver as almas que se encontram nas tumbas, uma vez que as pálpebras são levantadas e não há demônios para manter as arcas. Virgilio responde que as tumbas serão fechadas para sempre no dia do Juízo Final, quando as almas ressuscitadas serão reapropriadas do corpo no vale de Iosafat. Ele também explica que, neste tipo de cemitério, estão todos os seguidores de Epicuro, que proclamaram a mortalidade da alma, prometendo a Dante que logo terá satisfeito o desejo que ele expressou e que não revelou, que é saber se há a alma de Farinata Degli Uberti. Dante justifica-se dizendo que, se alguns desejos lhe forem escondidos, é apenas para evitar falar fora de hora, algo que o próprio Virgilio o acostumou.

Encontro com Farinata e Cavalcante
De repente, uma voz que vem de umadas sepulturas se dirige a Dante, identificando-o como um toscano e implorando-lhe que persista, pois seu sotaque o indica como proveniente de sua própria cidade. Dante tem medo dele e se junta a Virgilio, que o convida a virar e olhar para Farinata, que subiu de um dos túmulos e é visível da cintura para cima. Dante obedece e vê o condenado que se detém com a cabeça e o peito levantados, como se ele desprezasse todo o Inferno, então Virgilio o empurra e aconselha-o a falar com dignidade.

Assim que Dante chega ao pé do túmulo de Farinata, ele pergunta quem são os seus antepassados. O poeta revela seus descendentes e Farinata observa que os antepassados ​​de Dante eram inimigos amargos dele, seus antepassados ​​e seu partido político (os Gibelinos), tanto que os levou duas vezes de Florença. Dante responde prontamente que, se eles foram caçados, eles puderam voltar para a cidade nas duas ocasiões, enquanto não se pode dizer o mesmo sobre os antepassados de Farinata.

Aparece Cavalcante (52-72)

De repente, ao lado de Farinata emerge outro condenado, que se inclina com o queixo como se ajoelhasse. O espírito olha ansioso ansioso, procurando por alguém ao lado de Dante, mas ele não vê. Finalmente, chorando, ele pergunta a Dante onde está o filho e por que não acompanha o poeta nesta jornada, se Dante está lá pelo grandeza de seu talento. Dante imediatamente entende que é Cavalcante dei Cavalcanti, pai de seu amigo Guido, e ele responde que, na realidade, ele está lá não só por seus méritos e indica Virgílio como alguém destinado a guiá-lo a alguém que, talvez, o filho de Cavalcante tivesse para desdenhar. Cavalcante se levanta alarmado e pergunta a Dante se seu filho Guido está realmente morto: já que o poeta demora em responder, os condenados caem de volta ao túmulo para não voltarem mais para fora.

Analise – Resumo

O sexto círculo contém os hereges, aqueles que acreditavam que o corpo não contém uma alma. Muitos destes são epicuristas, seguidores de Epicuro, o filósofo grego cuja filosofia era a realização da felicidade pela ausencia da dor.

Farinata, juntamente com Cavalcante, está no círculo dos hereges, em parte porque ele e Cavalcante eram epicuristas. De acordo com o julgamento do papado, de acordo com a sociedade de Dante Cavalcante e Farinata seguiram a filosofia epicurista. Os epicuristas acreditavam que não há alma e que tudo morre com o corpo. Eles são os prazeres da vida na Terra como o maior objetivo para o homem. Como Dante conhecia Farinata e Cavalcante como Epicuristas, paraele era totalmente esperado encontrá-los neste círculo do inferno.

De acordo com a ideia de contrapasso de Dante, o castigo do herege é passar a eternidade em túmulos flamejantes, até o dia do Juízo Final, quando os túmulos se fecharem e as almas dentro serão seladas para sempre dentro de seus corpos terrestres.

Dante usa consistentemente o ato de profetizar como um dispositivo literário no inferno. A profecia de Farinata para Dante, “O rosto daquele que reina no Inferno não deverá / ser reativado cinquenta vezes em seu curso / antes de aprender que as ofensas implicam nessa arte “, significa que Dante também experimentará a dor do exílio.

A outra sombra que interrompe Farinata é Cavalcante, outro epicurista, ex-cidadão de Florença e pai de Guido, poeta contemporâneo e amigo de Dante. Quando Dante diz: “Seu Guido sentiu desdém”,  poderia significar várias coisas. Poderia significar que Guido, um poeta moderno, manteve Virgilio e todos os poetas clássicos em desprezo. Observa que Farinata e Cavalcante não se percebem ou se reconhecem. Os espíritos sombra no inferno não estão lá para companheirismo ou compaixão um do outro. No caso de Ugolino e Ruggieri em Canto XXXIII, eles provocam dor ao invés de conforto.

Historicamente falando, Farinata era uma poderosa personalidade da geração anterior. A família de Dante era dos Guelphos. Como Dante alude neste canto em particular, Farinata liderou duas vezes os Ghibellinos contra os Guelphos e os derrotou duas vezes. Assim, ele e Dante devem ser inimigos amargos. No entanto, ele não é alguém a quem Dante odeia; Farinata era uma pessoa que Dante admirava tremendamente. (Uma pessoa pode respeitar um inimigo, mesmo que se opor a ele ou a ela).

As preocupações de Farinata são as de um guerreiro; qualquer outro sentimento não tem sentido para ele. Ele é um cidadão, e ele pede seu nome para sua pátria. Farinata também é um partidário: primeiro pergunta a Dante sobre seus antepassados. Da mesma forma, ele é um guerreiro invencível: ele relata ter vencido seus oponentes duas vezes. A gloria de Farinada era sua amada cidade. O tema do amor paterno de Cavalcante, entrelaçado com o amor heróico de Farinata, é eficaz.

Dante criou como uma imagem para Farinata de poder, caráter e força. Ele o descreve em posição ereta, de modo que ele só podia ser visto da cintura para cima. Esta postura sugere que, espiritualmente, ele se eleva sobre todo o Inferno e cria uma imagem de força e grandeza infinitas.